Verde Que Te Quero Ver

verde01

A Lenda de Luana

verde02Um musical infantil de Paulinho Tapajós e Edmundo Souto.

Com:
A COR DO SOM
ARETHA
BETH CARVALHO
CRISTINA CONRADO
FABIANO
JANE DUBOC
LUCINHA LINS
MAGAZINE
MARCELO
MU
PAULINHO TAPAJÓS E A
TURMA DO VERDE
VIVA VOZ

 

verde06Na década de 80 era muito comum que peças de teatro e especiais infantis se estendessem às nossas casas em formado de discos (LPs), que eram vendidos nas lojas ou ao final do próprio espetáculo, nos casos das peças de teatro.

Desta forma, as músicas foram repetidamente tocadas por nós e ficaram em nossas mentes até hoje!

Abaixo é possível relembrar um pouquinho deste belo espetáculo que nos ensinava a cuidar da natureza:
(Texto extraído do LP de 1984)

LADO A

Nossa história começa com o Fabiano junto com outros meninos reunidos em uma garagem, preparando cartazes para uma passeata em defesa da ecologia.

VERDE QUE TE QUERO VER

 

No dia seguinte Fabiano acorda feliz, cantando uma canção, regando suas plantinhas

CANÇÃO DO DESPERTAR

 

Surpreso, nota que uma flor canta junto com ele.
Fabiano: — Ué! Como você sabe cantar?
Flor: — Venha comigo para a floresta que eu te conto tudo…
Já na floresta a flor mostra o cacique que está triste com a destruição das matas, bem como dos animais e de seu povo.
Flor: — Aquela é a Vitória-Régia, uma das mais belas plantas da selva amazônica, e os pássaros estão tentando alegrar o coração do cacique.

XOTE DOS PÁSSAROS

 

Cacique: — Vocês cantam bonito, pena que vocês terão que voar daqui.
Colibri: — Todos já partiram, o rouxinol, o tico-tico….
Surge nesse momento um personagem muito engraçado e brincalhão com cara de cebola, braços e pernas de cenoura, corpo de beringela, punhos e gola de alface e nariz de cereja. É o Palhaço Real.
Palhaço Real: — Todos estão partindo.
Bem-Te-Vi: — Chegou a hora de partirmos também.

AGUAPÉ

Cacique: — Como aqui tudo está poluído! Coitadinhos dos peixes que moram nos rios.

BOTO DESBOTADO

A Vitória-Régia convida o Cacique para conhecer o Reino das Flores, na terra dos vegetais.
Palhaço Real: — Hei! Eu também vou


verde05CANÇÃO DO ARCO-ÍRIS

 

CONQUISTA DO CACIQUE

 

Ao chegar na terra dos vegetais, um paraiso ainda protegido das poluições, as flores se surpreendemcom aquela visita humana.
Rosa: — Será que nossa rainha ficou louca? Trazendo gente aqui!

 

LADO B

Vitória-Régia: — Fiquem sossegadas. O Cacique é puro e bom como as crianças.
Palhaço Real: — Venha Cacique, Venha brincar e cantar conosco.

DANÇA DOS BRINQUEDOS

 

A linda Vitória-Régia já enamorada pelo Cacique canta uma canção.

DOCE DOCE

 

Cacique: — Eu gostaria de ficar para sempre aqui, junto com o meu povo.
Vitória-Régia: — Eu também gostaria.
Cacique: — Você casaria comigo?
Vitória-Régia: — Casaria. Só que não poderíamos ter filhos, pois sou uma flor e você é gente.
O casamento é realizado com a benção da “Noite”.

RAIO DE LUAR

 

A Noite diz para a Vitória-Régia beijar o coração do Cacique que assim terão uma bela surpresa.
As flores velam o sono dos dois e se espantam quando do coração do Cacique começa a brotar uma linda flor.
Vitória-Régia: — É um presente da Noite e da Lua. Ela vai se chamar Luana.

ACALANTO DE LUANA

 

Todos ficam felizes no Reino, e o saltitante Palhaço Real grita, eufórico:
— Viva, viva, nasceu a mais linda flor de nosso Reino. Vou cantar uma música bem animada em homenagem à Luana.

PALHAÇO REAL

 

Fabiano, encantado com a história da flor, diz:
— Então você é Luana, a flor da Vitória-Régia que nasceu do coração do Cacique. É por isso que você fala e canta como a gente.
Flor Luana: — É muito triste eu estar num vaso de flores, pois aqui era um paraíso, mas existem lugares e Reinos a serem preservados.

CANÇÃO DE FADAS

 

Fabiano: — Quando eu ficar grandão quero continuar puro, para proteger e conversar com as flores e todos os animais.


verde04QUANDO EU FICAR GRANDÃO

 

Fabiano: — Vou agora mesmo com os meus amigos para a passeata em defesa das nossas matas, rios e animais.
Flor Luana: — Verde…
Fabiano: — Que te quero ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *