Sítio do Pica-Pau Amarelo

Por Clarice Maia Scotti <cmscotti@hotmail.com>

“Marmelada de banana, bananada de goiaba, goiabada de marmelo…”


Sítio do Pica-Pau AmareloNa TV, essa era a senha para o início da diversão. O
mundo mágico de Monteiro Lobato e o seu Sítio do Picapau Amarelo era presença constante nas fantasias de milhares de crianças (e muitos adultos também!). Eu adorava! Não queria perder nem a abertura – ficava fascinada com a estrada que virava arco-íris… O difícil era esperar o dia seguinte pra ver o resto!

Difícil, mas nem tanto. Para mim, a brincadeira não tinha hora pra começar – muito menos pra acabar! Graças a Deus – e aos meus pais, justiça seja feita – eu conseguia me divertir com as letras tanto quanto com a telinha. E a coleção completa do Sítio do Picapau Amarelo foi, por muito tempo, minha companheirona. Lendo as aventuras de Narizinho, Pedrinho, Emília & cia., podemos vivenciar a essência do faz de conta. Como se nós também tivéssemos dado uma boa cafungada no pó de pirlimpimpim (sem maldades, hein, galera), nos transportamos para o reino encantado de Dona Benta Encerrabodes de Oliveira e nos tornamos personagens de mil aventuras…


Sítio do Pica-Pau AmareloDona Benta é a dona do Sítio e a vovó mais adorada do país. Vive lá com a sua neta Lúcia, que, por causa do seu nariz arrebitado, tem o simpático apelido de “Narizinho”. Ambas contam com a companhia de Nastácia, a preta bonachona que faz os melhores bolinhos do mundo! Narizinho não desgruda de sua boneca Emília, que tia Nastácia fez para ela com retalhos de pano e recheio de macela.

Um dia, em uma viagem ao Reino das Águas Claras (que ficava no riacho do quintal) Narizinho conhece o Príncipe Escamado, o peixe rei daquele lugar. Lá, Emília toma a pílula do Dr. Caramujo e desembesta a falar. Dizem que foi aí que se abriu a tal “torneirinha de asneiras” que nunca mais se fechou… A farra se completa com a chegada de Pedrinho, primo de Lúcia, menino inteligente e corajoso, que também embarca nesse mundo de brincadeiras. A adorável e teimosa Emília acaba virando a Condessa das Três Estrelinhas, depois Marquesa de Rabicó, e isso ainda é apenas o comecinho da história! Ainda tem o Visconde de Sabugosa, um sábio feito pela tia Nastácia com sabugo de milho; o tio Barnabé, preto velho cheio de histórias; o Marquês de Rabicó, um porquinho muito do comilão; o burro falante e muito mais…


Sítio do Pica-Pau AmareloAssim é o mundo de Monteiro Lobato. Como a ilimitada imaginação das crianças, nesse sítio cabe de tudo. Desde contos da carochinha até mitologia grega! Isso mesmo! Ou vocês acreditam realmente que Hércules conseguiria cumprir os doze trabalhos sem a ajuda dessa turminha? Como diria Emília, du-vi-de-o-dó! Isso sem contar as lições de português e matemática deliciosamente ensinadas em “Emília no país da gramática” e “Aritmética da Emília”. Ou nas “peripécias” dos meninos para ajudar o anjinho da asa quebrada, montar o circo de cavalinhos, capturar o saci pererê ou escapar da Cuca.

A lista é interminável! O fato é que todas essas aventuras foram as principais responsáveis por hoje eu topar qualquer coisa por um bom livro. Foi com elas que eu aprendi a deixar a mente correr solta por entre as linhas e descobrir um novo mundo a cada página virada! Não é à toa que eu trato os meus livros como se fosse brinquedos, e os guardo com todo carinho do mundo pra um dia proporcionar aos meus filhos essa viagem fascinante.


sitio04
E viva o mundo do faz de conta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *