Luluzinha

por Marcelo Albuquerque

LuluzinhaQuando falamos em quadrinhos temos sempre boas lembranças. Os chamados “gibis” além terem sido nossa primeira leitura com certeza contribuíram para a criação de ícones, com os quais criamos uma identificação. A Luluzinha foi um exemplo, ela é uma dessas personagens, que apesar de não ter nascido nesta década conquistou de uma forma simples e bem humorada mais que uma geração. Seus personagens já viraram inclusive música da Jovem Guarda (a festa do Bolinha) e ajudaram a popularizar um termo, os grupos chamados de “clubes do Bolinha e da Luluzinha”.

Pode ser considerada uma das principais representantes femininas (junto a Mônica) e estava sempre combatendo o machismo dos menino. Quem não se lembra do Clubinho que tinha a famosa frase “Menina não Entra”?
LuluzinhaSua arma principal era a esperteza e suas histórias giravam sempre real em torno do universo infantil, com as brincadeiras de boneca e as disputas entre meninos e meninas. A revista tinha uma sessão chamada “Diário da Lulu”, em que ela aproveitava para descrever situações cotidianas vivida por ela e seus amigos. Os adultos, que estavam presentes na história, funcionavam mais como uma ponte, ajudando apenas no desenrolar da história.

Origem: Ela foi criada em 1935 e conseguiu sua primeira aparição através da revistal “Saturday Evening Post” no formato de “Gag cartoon”. O grande sucesso fez com ela tivesse seus direitos de comercialização comprados pela “Western Publishing Company”, ganhando a partir de 1945 seu próprio Gibi, e partir de 55 saindo também em tira diárias.

LuluzinhaSua Criadora Marjorie Henderson Buell (“Marge”) contou com o auxílio de vários colaboradores, em particular John Stanley, Woody Kimbrell, Roger Armstrong e o roteirista Del Connel. Além de ser uma cartoonista pioneira, já que não existiam mulheres nesse ramo, ajudou a tornar uma personagem feminina forte e capaz de vender os mais diversos produtos, ganhando inclusive uma série para TV a partir de 43 e uma outra em 1995 ,que passa ate hoje no canal a cabo HBO.

BRASIL: Ela foi publicada pela primeira vez em 1950, na revista “O Cruzeiro”, e a partir de 58 se torna um sucesso editorial . Com isso passou a ter seu próprio gibi junto a Bolinha através da editora Abril de Victor Civita, sendo publicada até meados dos anos 90.

Personagens principais:

 

Luluzinha

 

Luluzinha: A protagonista além de muita esperta está sempre a combater o machismo dos meninos. Tem uma queda pelo Plínio.

 

 

Luluzinha

 

Aninha: Melhor amiga de Luluzinha e irmã do Carequinha.

 

 

Luluzinha

.

Carequinha: Melhor amigo do Bolinha e irmã da Aninha.

 

 

 

Luluzinha

 

Alvinho: O garotinho que Lulu sempre é designada a tormar conta e para quem conta suas histórias.

 

 

 

Luluzinha

.

Bolinha: Apaixonado pela Glorinha, detetive nas horas vagas.

.

.

Luluzinha

.

Plínio: O menino rico da turma, seu mordomo Anastácio faz tudo o que ele quer.

.

.

Luluzinha

.

Glória: Além de fresca e de ter o nariz empinado é apaixonada por Plínio.

.

.

Juca e Zeca: Amigos de Bolinha e pertencentes ao clube.

Turma da Zona norte: Rivais de Bolinha e sua turma.

.

Personagens Secundários:

Carlinhos: Primo do Bolinha, está sempre criando confusão. Idêntico a ele só que menor.

Alcéia e Meméia: As duas bruxas que aparecem nas histórias que Lulu lê para Alvinho.

Pobre menininha: O alter ego de Lulu, presente nas histórias que conta a Alvinho.

Fifi: A amiga da Lulu que mora em Paris.

Mino: O amigo marciano do Bolinha.

Dona Marocas: professora

Seu Miguel: Inspetor que vive caçando alunos que matam aula.

.

.

A Festa do Bolinha
( Roberto Carlos / Erasmo Carlos )

Eu ontem fui a festa na casa do Bolinha
Confesso não gostei dos modos da Glorinha
Toda assanhada, nunca vi igual
Trocava mil beijocas com o Raposo no quintal

Porém pouco durou aquela paixão
Pois Bolinha com ciúmes, formou a confusão
Aninha tropeçou, e os copos derrubou
E a casa do Bolinha em um inferno se tornou

Bolinha provou que é ciumento para “xuxu”
E que não gosta da Lulu
Bobinha, que por ele ainda chora

Com tanto pão dando bola no salão
Luluzinha foi gostar logo de um bolão
Com tanto pão dando bola no salão
Luluzinha foi gostar logo de um bolão

.

Bibliografia:
Enciclopédia dos Quadrinhos – Goida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *