Dominó

Dominó

 

Escrito por Celso Luiz <calcides@uol.com.br>
Revisado por Fabiana Faria – Jornalista <fabianafaria@hotmail.com>

DominóO ano era 1984. Ao mesmo tempo em que o grupo Menudo estava estourado no Brasil, o então apresentador do programa Viva Noite Augusto Liberato (Gugu), através de sua agência Promoart, resolveu formar uma versão nacionalizada do grupo. O que ele não imaginava é que havia criado o maior fenômeno pop da segunda metade da década de 80 e do início dos anos 90.

Para a formação do grupo, diversos garotos com idades entre 14 e 15 anos realizaram testes nos quais precisavam saber cantar e dançar. Os selecionados foram Affonso Celso Lucatelli Nigro (Affonso Nigro), Lenilson dos Santos (Nill), Marcos Roberto Quintela (Marcos) e Marcelo Rodrigues (Marcelo). Estava pronta a fórmula do sucesso!

Ainda em 84, o grupo lançou um compacto pela CBS com duas versões de sucessos do grupo mexicano Timbiriche: Ela Não Gosta de Mim e Companheiro, que foi a primeira música a estourar nas rádios, com direito a clipe lançado no programa global Fantástico.


DominóEm 1985, quando o Dominó já era uma febre, o grupo lançou seu primeiro Lp pela CBS e vinha com, além das famosas Companheiro e Ela não Gosta de Mim, a música Ainda Sou Você, faixa de trabalho desse álbum. Além disso, contava com a participação especial do grupo Balão Mágico nas faixas Chega Mais um Pouco e Fim de Semana.

 

 

Sucesso internacional e a “dominómania”


DominóUm ano depois, além de ser presença constante em programas de TV, principalmente da TVS, o grupo ganha um especial da emissora em um resort. Ainda em 86, o Dominó lança um disco em espanhol e estoura no mercado latino. Esse Lp tinha uma regravação da música Lindo Balão Azul, de Guilherme Arantes. Por aqui, o segundo álbum vinha puxado pelos sucessos Guerreiros, Mariá, Amor e Música e Jura de Amor.


DominóEm 1987, o Dominó já tinha três anos de estrada e um enorme sucesso de vendagens, público e crítica. O terceiro Lp é o ápice da “dominómania” que assolava o país. Esse disco contou com ucessos como P da Vida, que “estourou” logo em seu lançamento, seguido de Manequim e Medusa. Nesse mesmo ano, eles participaram do filme Os Fantasmas Trapalhões juntamente com seu padrinho e empresário Gugu Liberato.

Em 1988, o álbum preto, como é chamado, mostra uma fase de amadurecimento do grupo e traz músicas de caráter mais reflexivo. Esse Lp trouxe os sucessos Com Todos Menos Comigo (“Vai por aí/ Com uns e com outros/ E passa por mim/ Faz pouco de mim / Anda muito bem / Com todos menos comigo / seus olhos são / são verdes bofetada…”), Bruta Ansiedade (“…é uma bruta ansiedade / Periga a sufocar / O Vento fica na saudade / Do ar, do ar / Quero respirar…”) e As palavras, com a participação especial de Angélica, na época apresentadora dos programas Clube da Criança e Milk Shake, na Rede Manchete. Nesse mesmo ano o quarteto ainda participou de dois filmes: Os Heróis Trapalhões e Os Trapalhões na Terra dos Monstros, onde cantam a música Paraíso.


A saída de Nill

DominóTudo ia bem até Nill deixar o grupo e partir em carreira solo. A despedida foi no programa Viva Noite em 19 de outubro de 1989.

A Promoart preferiu seguir a carreira do grupo somente com os três integrantes e lançou, em 1990, um Lp puxado pelas faixas Maria, Felicidade Já e Leilão.

 

Nova formação e o aparecimento do Polegar

Porém, desde a saída de Nill, o grupo havia perdido grande parte de sua popularidade e de seu espaço na mídia. Isso se deve também à formação do grupo Polegar, também pela Promoart, que era liderado por Rafael Ilha Alves Pereira, ator de comerciais da Neston e das canetas BIC, e mais 3 garotos. Ao contrário do Dominó, o grupo não se utilizava de coreografias, mas de instrumentos musicais em suas apresentações: Alex – teclados/vocal; Alan – baixo/vocal; Ricardo – bateria; Rafael – guitarra.


DominóO grupo Dominó ainda lançou mais um disco em 1992, porém não contava mais com seu principal integrante e vocalista Afonso Nigro, que deixou o grupo alguns meses antes do Lp ser gravado. A Promoart e a Sony Music, que havia comprado a CBS, preferiram reativar o quarteto, escolhendo dois novos integrantes: um garoto chamado Ítalo e o apresentador do programa infantil ZYBemBom, da Rede Bandeirantes, Rodrigo Faro.

Este disco teve apenas um sucesso: a faixa Sem Compromisso, que era cantada por Marcelo e contava com a participação especial da namorada dele na época, a apresentadora do SBT Mara Maravilha.

Dominó renovado

Em 1993, Marcos deixou o grupo e foi substituído por Klaus. No final do mesmo ano, foi a vez de Marcelo se despedir no programa Sabadão, em que relembrou o antigo sucesso Manequim. Em seu lugar ficou o garoto Fábio. A formação passou a ser: Rodrigo Faro, Klaus, Fábio e ítalo .

Nos anos seguintes o grupo caiu no esquecimento, porém em 99 o Dominó reapareceu e voltou a fazer sucesso, graças à música Baila, baila comigo. A nova formação era composta por Rodrigo Pavanello, Héber, Rodriguinho e Cristiano.

O grupo sem a Promoart

Após alguns anos sumidos, o grupo voltou em 2003 com novos integrantes e nova proposta, porém não pertencendo mais à Promoart. O novo empresário apenas paga o direito pelo uso da marca Dominó a Gugu.

A nova formação é composta por Mike, Ricky, Diego e Leandro e o grupo apareceu poucas vezes em programas de televisão, como é o caso do Domingo Legal, do SBT, em julho de 2003, e dos programas Superpop e Bom Dia Mulher, na RedeTV!. Hoje em dia, as músicas são compostas pelos integrantes e as faixas de trabalho atuais são Coração Parou e Baby.

Relembre:

Ela Não Gosta de mim – Álbum de 1985

 

Manequim – Álbum de 1987